tratamento de canal escurece o dente?

Quando esse tipo de tratamento é feito, acontecem algumas modificações químicas no dente que podem causar seu escurecimento.

Tratamento de canal foi criado para diminuir o número de extrações de dente que eram extremamente comuns no passado. Seu objetivo é manter o elemento dental, mesmo que sua polpa esteja doente e precise ser removida. O problema é que esse procedimento, em alguns casos, pode escurecer o dente.

Alguns escurecimentos dentais são causados por conta da forma com o tratamento foi feito, falhando em alguns pontos

A polpa nada mais é do que o tecido mole que fica dentro do dente e que contém vasos sanguíneos, nervos e tecido conjuntivo. Quando ela sofre algum tipo de lesão, que pode ser causada por uma cárie não tratada, por exemplo, ela fica doente e não consegue mais se recuperar sozinha, necrosando.

Mas por que escurece?
Realmente muitas vezes esse tratamento é feito sem nenhum contratempo e o dente não escurece depois. Mas Daiane explica que, em alguns casos, ele pode escurecer sim. “Quando o nervo do dente é retirado pode haver uma série de modificações químicas dentro dele, o que causa seu escurecimento”, diz a especialista.

É possível evitar?
Como pudermos ver, alguns escurecimentos dentais são causados por conta da forma com o tratamento foi feito, falhando em alguns pontos. Mas no caso da decomposição da polpa, uma causa fora do controle do profissional, é praticamente inevitável prever ou prevenir o escurecimento.

Mas nem tudo está perdido. Se por um acaso você fez um tratamento de canal e seu dente escureceu, existem procedimentos hoje que podem o fazer voltar a ser branco como é o caso do clareamento intra-canal e das facetas.

“Mas, antes de dar início a qualquer método de clareamento, é preciso diagnosticar o motivo da pigmentação dentária e verificar, junto com o profissional, qual o melhor método para combatê-la”, diz a especialista.

 

COMO ESCOLHER SEU CREME Odontológicos

Saber escolher o creme dental é importante para a saúde dos dentes
Dentes brancos e bem cuidados são um dos sinais mais evidentes de boa saúde. (instrumentos rotatorios odontologicos)

Prepare-se para escová-los bem e fazer do creme dental um aliado poderoso. Quando aplicado corretamente com a escova dental, ele limpa os dentes, remove a placa bacteriana, confere polimento às superfícies e restaurações dentais e, de quebra, combate o mau hálito.

É difícil escolher a melhor opção diante de tantas ofertas na prateleira do supermercado, certo? “A rigor não existe um produto que supere o outro em eficiência e segurança, dentro da sua indicação (anticárie, antitártaro, antiplaca, entre outros)”, avisa o dentista Heitor Panzeri, consultor do Departamento de Avaliação de Produtos Odontológicos da Associação Brasileira de Odontologia (ABO) e professor da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da USP.

“A principal condição é que as substâncias usadas na formulação sejam compatíveis umas com as outras, para evitar que percam suas atividades”, alerta Panzeri. Por isso, a melhor orientação virá do seu dentista. É ele que vai dizer o que merece uma atenção especial, assim ficará mais fácil descobrir qual princípio ativo procurar na pasta de dente.

É comum encontrar no mercado um creme dental específico para cada finalidade. “A especificidade é muito difícil, porque um mesmo produto também têm vários benefícios. Por exemplo, pode ter ação anticárie principalmente pela presença do flúor, mas ele não deixa de ter ação antiplaca”, explica o professor da USP.

Abaixo, veja quais são as principais substâncias presentes num bom creme dental

Antitártaro:
Com pirofosfato, substância que impede a formação de tártaro, mas não remove o que já existe disso só o dentista é capaz.

Antiplaca:
Com triclosan, um antimicrobiano, e flúor, entre outras substâncias que agem contra as bactérias da boca. É indicado especialmente para pessoas com problemas na gengiva.

Ação Total ou Global:
Indicado para pessoas que têm mais de 40 anos ou apresentam placa bacteriana e tártaro ao mesmo tempo. Combinam substâncias que evitam placa, tártaro e inflamações na gengiva.

Bicarbonato de sódio
Além de abrasivo, o bicarbonato neutraliza os ácidos da placa bacteriana e diminui a proliferação de fungos nas mucosas. Boa opção para quem vive beliscando massas e doces.

Branqueadores
Suaviza manchas causadas por pigmentos de café e de refrigerantes, que impregnam os dentes. Graças à ação oxidante do peróxido de hidrogênio e de abrasivos presentes na formulação.

Herbal ou Fitoterápico:
Para gengivas sensíveis. Contam com antibióticos e antiinflamatórios naturais que atuam nas mucosas, como própolis, mirra, sálvia e malva.

Sem flúor:
Crianças que engolem a espuma feita pela pasta e pessoas que não necessitam do poder remineralizante do flúor (porque têm coroa em vez de dente, por exemplo) podem usufruir desse tipo.

Dessensibilizantes:
Para dentes sensíveis a calor, frio ou doces. Suas partículas de nitrato de potássio recobrem a área desfalcada de esmalte, diminuindo a sensibilidade.

Infantil:
Possui menor concentração de flúor do que as pastas de dentes convencionais e é indicado dos 3 anos, quando a criança consegue cuspir a espuma, até os 12 anos.

veja mais:http://www.oyodental.com.br

Como É Realizado O Clareamento De Dentes?

Há muitas maneiras de clarear os dentes, de creme dental com ação clareadora a outros produtos que removem manchas superficiais a custos reduzidos, a técnicas ativadas por luz executadas no consultório de um dentista e que podem custar em torno de R$ 1.000 ou mais dependendo do profissional.(clareador odontológico aparelho)

Todas as técnicas de clareamento são realizadas de uma dessas duas maneiras:
Procedimentos clareadores removem manchas extrínsecas e intrísecas.Procedimentos clareadores removem manchas extrínsecas e intrísecas.
Procedimentos clareadores que modificam a cor natural dos dentes, deixando-os com tons de cinco a sete vezes mais claros. Tanto o clareamento realizado no consultório (assistida) quanto aquele realizado em casa (moldeira) utilizam alvejantes. Os princípios ativos mais freqüentemente contidos nos alvejantes são o peróxido de carbamida e o peróxido de hidrogênio a concentrações de 10 a 22%, que ajudam na remoção tanto das manchas superficiais quanto das profundas. Há diferenças de custo entre os diferentes procedimentos:

Uma sessão de clareamento ativada por luz no consultório do dentista, às vezes chamadas clareamento assistido (clareamento no consultório), pode custar em torno de R$ 500 ou mais dependendo do profissional, e seus resultados são dentes muito mais brancos, instantaneamente. Porém, após um ano comendo e bebendo normalmente (café, chá, refrigerantes), seus dentes perdem ligeiramente a cor e novas manchas aparecem. Para ter seus dentes brancos novamente você deverá repetir a sessão de clareamento ativado por luz.
Uma moldeira personalizada criada pelo seu dentista para clarear os dentes em casa, custa por volta de R$ 300 por arcada dentária, e deve ser usada durante muitas horas durante o dia, ou durante a noite por duas semanas. Quando você observa novas manchas, deve apenas usar a moldeira novamente por uma ou duas noites para removê-las.
Produtos vendidos sem receita nas farmácias para clarear os dentes incluem moldeiras que se adaptam depois de aquecer e morder, gel alvejante aplicado por um pincel, e fitas de clareamento com preços que variam em torno de R$ 20 a R$ 150, dependendo do produto de branqueamento.
La abrasión  remueve mayormente manchas externasLa abrasión remueve mayormente manchas externas.
Procedimentos não clareadores funcionam por ação física e/ou química para ajudar a remover manchas superficiais. Todas os cremes dentais recaem no uso de um leve desgaste para remoção de manchas superficiais entre consultas odontológicas. Cremes dentais clareadores contêm agentes químicos ou polidores para promover a remoção adicional das manchas. Uma limpeza profissional feita por uma dentista ou higienista também envolve desgaste para remoção de manchas mais externas causadas por alimentos ou tabagismo.

Cada um responde de maneira diferente a cada tipo de clareamento. Algumas pessoas respondem bem aos cremes dentais clareadores, enquanto outras, com dentes acinzentados ou outro tipo grave de descoloração, necessitam de facetas laminadas de porcelana(abordados ainda nessa sessão) para obter os sorrisos que sempre desejaram. Apenas seu dentista ou higienista podem determinar o que é melhor para você.

veja mais:equipamentos odontologia comprar

Análise da irradiação de diversos aparelhos fotopolimerizadores

INTRODUÇÃO
O avanço apresentado pela Odontologia dentro da área de dentística está muito ligado à melhora das propriedades e características das resinas compostas como material restaurador e/ou equipamentos odontologia cimentante, viabilizando a confecção de restaurações, cujo aspecto imita com excelência o esmalte e a dentina perdidos. Um dos passos importantes para a melhora na aplicação destes materiais foi o aprimoramento no método utilizado para proceder-se à polimerização: a fotopolimerização. Inicialmente feita utilizando-se aparelhos que emitiam luz ultravioleta e atualmente valendo-se de aparelhos que emitem luz visível, a fotopolimerização trouxe duas vantagens fundamentais sobre o método anterior de ativação química: maior tempo de trabalho e menor possibilidade de incorporar bolhas na massa de resina, já que não há necessidade de espatular o material restaurador.

O aparelho fotopolimerizador led tornou-se uma das ferramentas mais utilizadas na clínica diária. São vários os materiais atualmente disponíveis que dependem da ação do fotopolimerizador para que se tornem efetivos ou polimerizem. Além das resinas para restauração e cimentação, adesivos dentinários e ionômeros de vidro, há também cimentos temporários, cimentos periodontais e mesmo agentes clareadores que necessitam de um aparelho fotoativador. Inicialmente os aparelhos fotopolimerizadores eram compostos de uma caixa que continha a fonte de radiação (lâmpada) e o filtro. A esta caixa acoplava-se um longo cabo flexível composto de fibras ópticas, ou gel (via líquida), que transmitia a luz desde a caixa até a boca do paciente. A quantidade de energia perdida desde o filtro até a ponta do cabo era significativa e tornava-se ainda mais importante na medida em que o cabo ia sendo manuseado e, em seu interior, ocorria a quebra das fibras que o compõem, ou formação de fungos nos cabos com gel transmissor. Atualmente os aparelhos são do tipo pistola e apresentam duas vantagens principais sobre os aparelhos do tipo cabo quanto à quantidade de energia irradiada: a fonte de radiação fica mais próxima da boca do paciente e a ponteira rígida não se fratura. Estes dois fatores disponibilizam uma quantidade maior de energia para que se proceda à fotopolimerização. Entretanto, se essa suposta energia não for produzida pelos aparelhos, dentro dos parâmetros já determinados por alguns autores2;4;6, ocorrerá um comprometimento da qualidade do material utilizado2;3;6;7;8, o que motivou esta análise da energia produzida pelos diferentes aparelhos fotopolimerizadores disponíveis no mercado.

Fundamentos elementares de radiação óptica
A luz percebida pelo olho humano é somente uma pequena parte do espectro eletromagnético, que é classificado em três intervalos básicos:

ondas elétricas e de rádio;
radiação óptica;
raios X, gama e cósmicos.
O intervalo de radiação óptica é subdividido em intervalo ultravioleta, visível e infravermelho. Esses intervalos foram criados de acordo com os efeitos fisiológicos observados.

A terminologia utilizada no trabalho é definida abaixo:
– radiação óptica: consiste de energia propagada na forma de ondas eletromagnéticas;
– luz visível: é a única parte do espectro eletromagnético capaz de sensibilizar o olho humano, compreendida entre 380 e 780 nanômetros (nm);
– irradiação: quantidade de radiação emitida por uma fonte ou recebida por uma superfície;
– transmitância: é a razão entre a intensidade de radiação emergente e a incidente num filtro óptico.

 

Quem não quer ter dentes brancos?

Quem não quer ter dentes brancos? Antes de se decidir qual o melhor método de clareamento dental, precisamos saber como ele ocorre. O dente é revestido pelo esmalte, que é o tecido mais duro do nosso organismo. Esse tecido é composto 96% de minerais. No processo de clareamento dental, os clareadores penetram na estrutura do esmalte e reagem quimicamente com os pigmentos que causam as manchas. Após a reação com os clareadores, os pigmentos são quebrados em moléculas menores, tornando-as menos visíveis aos nossos olhos. (autoclave odontológica)

Há dois tipos de manchas que podem ocorrer nos dentes. As manchas intrínsecas – aquelas que se desenvolvem dentro do dente – que podem decorrer do uso de antibióticos ou da exposição ao flúor excessivo quando criança. As técnicas de clareamento dental não são suficientes para eliminar este tipo de mancha, porém consegue-se uma mínima melhora. Já as manchas extrínsecas ? na superfície do dente – são causadas principalmente pelo avanço da idade, pela presença da placa bacteriana e do tártaro, consumo de chás e o café e pelo uso do tabaco.

Processos de clareamento dental

Para as manchas extrínsecas, o clareamento pode ser feito efetivamente por dois processos: um é feito no consultório, com uma concentração maior de produto (peróxido de carbamida ou de peróxido hidrogênio). Este procedimento é feito pelo dentista em apenas uma sessão, com ou sem o uso de laser. O laser, além de ativar o processo, pode diminuir a sensibilidade pós-clareamento. E a outra maneira é o clareamento caseiro, que precisa de uma moldeira confeccionada pelo dentista. O paciente usa então o mesmo produto em uma concentração menor por cerca de 40 minutos a duas horas por dia durante duas a três semanas.

Cada técnica tem suas vantagens e desvantagens, no entanto ambas funcionam da mesma maneira, pois os produtos são iguais variando somente em suas concentrações. Antes de decidir, sempre se deve consultar um dentista, pois ele vai determinar a melhor opção de tratamento.

A durabilidade do clareamento dental depende dos alimentos ingeridos, da higiene dentária e da frequência do paciente ao consultório. Pacientes fumantes ou que tomam muito café, chás e vinho tinto, o clareamento dental dura pouco, tendo que ser repetido uma vez por ano. Os pacientes que não têm esses hábitos podem repetir o tratamento a cada dois ou três anos.

veja mais:http://www.oyodental.com.br

 

Como Branquear os Dentes com Bicarbonato de Sódio

Quer dentes mais brancos sem ter que gastar dinheiro em tratamentos e produtos caros? Por sorte, há um produto caseiro comum que faz maravilhas no clareamento dentário: bicarbonato de sódio! O bicarbonato de sódio é um abrasivo leve que remove com eficácia as manchas nos dentes causadas por chá, café, cigarros e outras coisas. Saiba como fazer isso. (scaler ultrasonico )

1.Misture o bicarbonato de sódio com água. Em uma pequena xícara, misture meia colher de chá de bicarbonato de sódio com meia colher de chá de água. Misture para formar uma pasta. Mergulhe sua escova de dentes na xícara, para cobrir as cerdas com a pasta de bicarbonato de sódio.
Como alternativa, você pode colocar a escova de dentes úmida diretamente no bicarbonato de sódio e o pó irá se prender nas cerdas. Porém, o gosto do bicarbonato será muito forte se você usar este método.

2.Escove os dentes de um a dois minutos. Escove seus dentes como você normalmente faria, mas concentre-se em passar a escova em todas as aberturas e reentrâncias. Não escove os dentes por mais de dois minutos, já que o bicarbonato de sódio é um abrasivo leve e pode começar a corroer o esmalte dos seus dentes.
Esteja ciente de que o gosto do bicarbonato de sódio não é particularmente agradável!

3.Enxágue. Cuspa o bicarbonato de sódio e enxágue a boca com água ou enxaguante bucal. Lave bem a sua escova de dentes também.

4.Repita em dias alternados. Você deve repetir o processo de escovação dos dentes com bicarbonato de sódio em dias alternados de uma a duas semanas. Você irá perceber uma leve diferença entre a cor dos seus dentes depois de alguns dias e uma diferença substancial depois de duas semanas.
Depois de duas semanas escovando os dentes com bicarbonato de sódio em dias alternados, você diminuir a frequência para apenas uma ou duas vezes por semana. Isso é porque as propriedades abrasivas do bicarbonato de sódio podem danificar o esmalte dos seus dentes se o bicarbonato for usado com muita frequência.

veja mais:equipamentos odontologia comprar

Voltamos com nossa programação normal

Voltamos com nossa programação normal e continuo aqui, pedindo reformas na saúde! equipamentos laboratório dental Lembrando que é direito dos brasileiros terem uma Odontologia digna. Que é direito de todos os seres humanos não sentirem dor, não se sentirem humilhados por não terem dentes. Nas últimas manifestações que ocorreram no país, muitos motivos foram levantados e muitos pediam SAÚDE.

Como nós da TdB participamos ativamente deste movimento, sinto-me à vontade para pedir ajuda. Lembro a todos que dente é saúde, sorrir é saúde, não sentir dor é saúde, dar uma gargalhada é saúde.

Fizemos nossa parte ao participarmos das manifestações pacíficas (e toda vez que houver uma manifestação com um motivo justo, alinhado com o que pensamos, sairemos à rua). Mas, muito mais que isso… Há 11 anos, 15 mil dentistas fazem a sua parte, participando ou não de passeatas porque através de seu trabalho, denunciam as mazelas da saúde bucal no Brasil e ajudam 39 mil jovens e 400 apolônias.

Sei que isso é pouco, muito pouco. Por isso, espero que no pacto da Dilma exista uma linha sequer falando: “Precisamos de políticas mais claras na área da saúde bucal”.

Enquanto isso, a TdB continuará aqui, tentando de todas as maneiras fazer mais e melhor de forma justa e honesta. Tudo o que for possível para que mais e mais pessoas sejam ajudadas. Nunca aceitamos verbas públicas, nem nos alinhamos a partidos, o que sempre nos deu a liberdade de denunciarmos o descaso com a saúde bucal. E, também por isso, nos últimos 11 anos, foram várias as tentativas truculentas de nos calarem, mas não conseguiram! E seguimos firmes com nosso trabalho, organizados, respeitando as diferenças entre pontos de vista (vocês podem imaginar como são diferentes os 15 mil dentistas), mas com foco e clareza do que deve ser mudado e de que maneira. Agindo mais do que falando, avançamos em políticas públicas e continuamos a incomoda, pois uma hora muda, demora, não é da noite para o dia, mas muda. Menos falação e mais ação!

Vamos que muita coisa ainda precisa ser feita até o dia em que o Brasil não mais precisar de ONG odontológica, amalgamador odontológico porque a saúde pública vai dar conta de resolver esses problemas.

Três especialidades da odontologia que cuidam da sua família

A Odontologia tem muitos avanços para mostrar, oyodental nos últimos 20 anos. Existem algumas especialidades que estão voltadas para membros específicos de nossas famílias como a Odontopediatria, a Odontohebiatria (ainda não reconhecida pelo Conselho Federal de Odontologia como especialidade oficial) e a Odontogeriatria.

Um avanço para os futuros vovôs e vovós: ficar velho não é mais sinônimo de perda de dentes. Na verdade nunca deveria ter sido. Os dentes, o osso e nossas gengivas são fortes o suficiente para aguentarem na boca durante toda a nossa vida. O problema vem de “acidentes de percurso” que podem causar perdas dentais e principalmente de doenças que atingem os dentes quando ainda somos jovens ou jovens adultos. Sem querer me tornar repetitivo: a prevenção ainda é a melhor solução para a conservação dos dentes.

Respeito também conserva os dentes, dizem por aí. Só se for respeito aos hábitos diários de higiene bucal, como escovação e uso do fio dental, religiosamente. Os idosos podem contar com a Odontogeriatria. A especialidade visa restabelecer as perdas dentárias ainda muito frequentes nessa faixa etária, entre os brasileiros. Além disso, muitos idosos apresentam doenças sistêmicas que podem afetar a saúde bucal, como o Diabetes Mellitus. Muitas vezes o dentista deve também respeitar as limitações desses pacientes, sempre prevenindo futuras perdas dentárias.

A Odontopediatria é uma linda especialidade voltada inteiramente para as crianças. É bom levar seu filho bem cedo ao dentista também para estabelecer um controle e prevenção de doenças bucais. E quando que devemos procurar o(a) dentista odontopediatra? Antes mesmo do nascimento dos filhos! As orientações sobre higiene bucal do bebê e cuidados gerais podem ser esclarecidos pelo(a) odontopediatra, que também lida com toda psicologia para que o futuro adulto não tenha experiências ruins e, consequentemente, medo de dentista.

E os adolescentes? Esses podem ser tratados e acompanhados pela Odontohebiatria. Sabemos que muitas mudanças hormonais desta faixa etária terão consequências diretas na boca. É uma fase delicada de nossas vidas que precisa de cuidado especial. Os últimos dentes de leite estão sendo trocados e a mordida definitiva estará formada logo. Momento interessante para intervenções com aparelhos dentários, por volta dos 11 anos de idade. Se bem que a Odontopediatria já pode indicar a ortodontia se encontrar problemas.

Por fim, alguns dentistas estão se especializando em uma Odontologia voltada para as mulheres. Apesar de não ser uma especialidade nomeada e reconhecida, as mulheres deveriam ter uma atenção do dentista em momentos chaves de suas vidas, fotopolimerizador comprar como a própria adolescência, a gestação e a menopausa. São mudanças corporais que deixam os tecidos bucais mais sensíveis e mais propensos ao aparecimento de certas doenças. Então, munido dessas informações, procure sempre um dentista para deixar a saúde da sua família em dia, evitar perdas dentárias precoces e, principalmente, para aprender sobre prevenção.

Clareamento Dental – Associação de técnicas para obtenção de efetividade e naturalidade

O sorriso é considerado um acessório fundamental que compõe a aparência e a apresentação do indivíduo na sociedade. A globalização tem tornado as baixa rotação peça de mão pessoas cada vez mais expostas tornando o padrão estético mais exigente e desejado. O bem-estar da estética facial concentra-se em fatores como a cor, forma e posição dental, ou seja, dentes brancos e alinhados (BARATIERI, 1996; FRANCCI et al, 2010).

Os tratamentos estéticos tem ocupado lugar de destaque na odontologia contemporânea. Visando alternativas minimamente invasivas na recuperação estética, o clareamento dental é a opção de tratamento mais conservadora para a resolução de manchamentos intrínsecos, quando comparados a restauração de resina composta, facetas ou coroas (CARDOSO et al, 2010; SAMPAIO et al 2010; RODRIGUES JR et al, 2002). Diante disso, fabricantes de produtos odontológicos estão em constante desenvolvimento de melhorias e novas abordagens para o clareamento dental, consagrando técnicas conservadoras e eficientes a fim de atender as exigentes expectativas dos clientes (JOINER, 2006). O tratamento clareador não envolve somente a melhoria da estética, engloba também aspectos como autoestima, confiança e posicionamento social.

A cor amarelada dos dentes permanentes é instituída pela dentina. Com o passar do tempo, há disposição de camadas reparadoras o que torna a dentina mais espessa, e os desgastes dentais, por sua vez, torna o esmalte mais fino, ressaltando assim o escurecimento fisiológico dental (BARATIERI et al, 2001).

As técnicas para o clareamento são simples, preservam a estrutura dental, além de promoverem excelentes resultados quando bem indicadas (MAIA et al, 2005). Porém o maior desconforto desse tipo de tratamento consiste na possibilidade de uma hipersensibilidade dentinária, independente da técnica utilizada. A escolha da técnica clareadora depende do tipo de alteração cromática, da preferência profissional e do perfil do paciente (MAIA et al, 2005; ZEKONIS et al, 2003). Na composição deste perfil do paciente são avaliados a etiologia do escurecimento, e aspectos que poderiam trazer um quadro de sensibilidade, como lesões de erosão, abrasão ou abfração, trincas em esmalte, lesões incipientes de cárie e regiões de desgastes incisal ou oclusal.

Apesar das vantagens conhecidas da técnica de clareamento supervisionado, introduzida por Heymann & Haywood, em 1989, hoje tem se estabelecido, por muitas vezes, a preferência do profissional pela técnica associada (supervisionada e de consultório), devido a ansiedade por parte dos pacientes em obter efeitos mais imediatos e a pretensão de um tratamento mais estável e com maior longevidade dos resultados obtidos. A agilidade do processo clareador devido ao tratamento de consultório se traduz em motivação para o paciente em utilizar com maior regularidade a técnica supervisionada, devido ao efeito notório de resultados mais rápidos (HAYWOOD, 1992; CARNEIRO JR. et al 2010; RODRIGUES JR et al, 2002). Essa associação combina rapidez e eficácia na obtenção de resultados satisfatórios para o clareamento dental, pois reduz o tempo de tratamento e diminui irritação gengival e a sensibilidade dental (DELIPERI et al, 2004). alta rotação peça de mão Vários trabalhos laboratoriais, in vitro e in situ, foram realizados para avaliar os efeitos deste procedimento sobre a estrutura dental, comprovando que a técnica supervisionada e a de consultório, não prejudicam os tecidos e as estruturas dentais (MC CRACKEN, HAYWOOD, 1996; ARAÚJO JUNIOR, 2002; MAIA, 2002; JOINER; THAKKER; COOPER, 2004; MONDELLI et al, 2012).

Fatores como a concentração do gel, capacidade em atingir as cadeias moleculares longas e quebrá-las, quantidade e duração das aplicações influenciam diretamente o grau de clareamento (JOINER, 2006).

O presente artigo relata um caso clínico de clareamento dentário através da técnica associada (supervisionado e de consultório), ressaltando o resultado do tratamento, assim como a presença ou ausência de desconfortos, como o de sensibilidade dentinária.

Saúde pela boca

Os tempos vão mudando e a odontologia acompanha essa mudança de perto.
Sendo hoje referência em todo o mundo, a odontologia brasileira cada vez mais muda suas preocupações:contra angulo  antes a doença cárie era nossa maior apreensão, não que tenha deixado de ser, mas o índice de cárie e de perda dental caiu e as exigências hoje são outras. O acesso ao tratamento bucal melhorou, o número de dentistas e as especialidades dentro da odontologia aumentaram. Ainda fazemos “dentaduras”, mas preferimos trabalhar a prevenção à restaurar um dente que seja.
A informação sobre saúde bucal, que só chegava por meio da TV, dentistas, programas de prevenção em escolas públicas, hoje chega pela internet. O desejo de ter os dentes saudáveis e brancos como os artistas da TV dominou o mundo e a população brasileira se preocupa muito mais com a saúde bucal, estética e também com o bom hálito, se comparado há 10 anos.
A Associação Brasileira de Halitose (ABHA) já atua há 16 anos. Temos profissionais em quase todos os Estados brasileiros, dentistas capacitados no tratamento e diagnóstico do mau hálito – uma preocupação que afeta 40 % da população mundial.
A halitose, conhecida também como mau hálito, é um assunto que ninguém gosta de falar ou tem vergonha ou constrangimento quando abordado sobre esse tema.
Será que existe alguém que não conheça alguém que tem mau hálito?
Todos nós conhecemos alguém! O problema está em falar e como falar.
Precisamos ser mais sinceros e avisar o ente querido. Ou se isso não for possível, a ajuda pode vir da própria associação.
No site da ABHA temos o SOS Mau Hálito, que pode alertar e indicar um profissional de qualquer região.
A halitose não é uma doença, ela apenas indica que algo não vai bem, podendo ser um sinal ou sintoma de algum transtorno bucal, sistêmico ou bucal-sistêmico, com ou sem envolvimentos patológicos.
Infelizmente é um problema que segrega, que afeta todos os campos da vida da pessoa, sendo físico, mental e ou social.

Podemos comemorar o dia 20 de março, Dia Mundial da Saúde Oral, pois estamos compreendendo que para termos saúde é necessário qualidade de vida, bons hábitos,peça reta odontologia  check-up médico e odontológico, pois a boca não é e nunca foi isolada do corpo!